Viagem ao Umbigo do Mundo
 
“(...) No meio da verdura, casinhas de adobe, como devem ter sido as casas do passado, abrigavam a população que era rural, e lá estavam as pessoas, principalmente as mulheres, em duas, em três, em pequenos grupos que vigiavam seus rebanhos de lhamas que pastavam nos pastos sem cercas. (...) Sei que era extremamente lindo ver aqueles rebanhos nos pastos verdinhos, e suas donas sentadas próximas a eles, fiando alã da última tosquia como suas antepassadas devem ter fiado por milhares de anos (...). 
E, na sombra do entardecer, chegamos s Cusco! Ah! Cusco, Umbigo do Mundo, como é possível alguém morrer sem ter te conhecido?”