Trinados para o meu Passarinho

"(...) Ai, meu Passarinho, não tenha medo de mim, não vou lhe fazer mal, prendê-lo numa gaiola, cortar-lhe as asas tão amplas e lindas! Quero-o livre e solto para conquistar o espaço, para voar livre até onde lhe apeteça - mas me dê o seu trinado, por favor, senão a primavera já não volta! É muito triste, muito triste estar assim, sem nem ao menos saber se as sementes da beira do Rio Orinoco terão a chance de germinar! É absolutamente necessário existir a primavera para que a vida possa continuar."