CRUZEIROS DO SUL

- Papai, a vida é dura?
Jacinto espantou-se. De onde tinha vindo aquela pergunta à cabeça de um menino de cinco anos? Perguntou-lhe. Ele respondeu candidamente:
- A avó disse que a vida é dura. Como é que a vida é dura?
Eram perguntas abstratas, difíceis de responder, principalmente numa comunidade onde se trabalhava, se agia muito e sobrava muito pouco tempo para abstrações. Jacinto respondeu do jeito que pôde.
- A vida é dura porque tem muito sofrimento.
Isto Manequinho podia entender. Ele sabia o que era o sofrimento. Havia-o sentido muitas vezes, como naquele dia das correcas, como quando fechava os olhos e fugia ao ver os irmãos fisgando um peixe no ribeirão ou no mar, como quando via a avó pisando com raiva, com os tamancos, um carreiro de formigas que se insinuava na casa.
- E por que é que as pessoas fazem o sofrimento?
Jacinto custou a achar a resposta.
- O sofrimento vem de Deus, meu filho.
O menino ficou quieto, ensimesmando.O pai devia estar enganado. Quem fazia o sofrimento eram as pessoas que ele conhecia.