Aprendiz de feiticeiro

O sonho engana... Mas sonhar é dolo?
Não é. Se for, não de ser lá muito...
Nas artes que cultivo, o meu intuito
é dar, antes de tudo, algum consolo.

Verdades e mentiras, num circuito
as tenho por dever e no compô-lo
uso de ardis, amasso-as num rolo
com ilusões de mágico fortuito.

Direis que são... composições ingênuas!...
Não há como negar. No entanto, aceno-as
por ofício e noções que trago em mim.

Se a nossa vida é triste e passageira,
a primavera continua inteira
se soubermos sonhar. Eu penso assim.