CÉU DE ESTRELAS

Céu de Estrelas é o livro das minhas primeiras poesias; poesias compostas entre os anos de 1940 e 1945. Foram publicadas em primeira edição em 1951. Esta primeira edição se esgotou lentamente, e saiu sem prefácio, porque um poeta de minha eleição, naquela época, simplesmente não emitiu opinião e extraviou os originais. Algumas poesias foram extraviadas ali.
Certa ocasião fui solicitado a prefaciar um livro de poemas e escrevi: “Para ser poeta, o primeiro requisito é gostar de poesias.” Não pude escrever mais, porque acabaria desestimulando o autor.
Parece que eu deveria também “extraviar os originais” daquele. No decorrer dos anos, fui publicando O Julgamento de Tiradentes, O Segredo do Pântano, Outras poesias e Poesias Esparsas e parece que com melhor sorte, porque até aquele que considero o maior poeta brasileiro da atualidade se prontificou a prefaciá-lo. Concluí que a poesia não é apenas uma tendência ou dom e sim treinamento, persistência, engenho e esforço conjugados. A arte não é espontânea, é produto de laboratório, creio.

Miguel Russowsky

Joaçaba, SC, outubro de 1989