COISAS DE MULHER

Você disse que vinha.
Fui à feira, comprei flores, vinho.
Não, não fui trabalhar.
Fiz feriado,
brigadeiro,
bolinho de chuva,
pão, cabelo, unha.

Você disse que vinha.
Acendi incenso, lustrei o chão,
troquei os lençóes da cama,
as toalha, os sabonetes,
abri as venezianas.

Você disse que vinha.
Vesti roupa de Domingo,
sandália nova, meia fina,
espírito de Natal,
de dia de aniversário,
de final Brasil X Argentina. Olé!

Você disse que vinha.
E dormi na sala,
descoberta, esperando-te.
Eu dormi a vida toda,
encoberta,
te esperando.

Você disse que vinha...
Canalha!



Cosas De Mujer

Tú dijiste que vênias.
Fui a la tienda, a comprar flores y vino.
No, no trabajé.
Hice dulces, buñuelos,
pan, El pelo, lãs uñas...

Tú dijiste que vênias.
Encendí incienso, saqué lustre AL suelo,
cambie lãs sábanas de cama,
Toallas, jabones, abri lãs ventanas...
Tú dijiste que vênias.

Vestí ropa dominguera
pantuflas nuevas, medias finas,
espíritu navideño,
de dia de cumpleaños,
de final Brasil x Argentina..
jOlé!

Tú dijiste que vênias...
Dormí em la sala,
destapada, esperándote.
Y dormi mi vida toda,
encubierta, esperándote.
Tú dijiste que vênias...
jCanalla!


Poesia
Formato: 11h14,5
48 páginas
Marilda Confortin
Curitiba - PR
Valor:

marildaconfortin@yahoo.com.br
http://www.iscapoeticablogspot.com